O legado de Paulo Gustavo


O ator e humorista Paulo Gustavo faleceu dia 04 de Maio, mas ele continua nos corações de milhares de brasileiros. Aos 42 anos de idade, o artista conseguiu algo difícil: ser celebrado, admirado e respeitado como artista gay em um dos país mais homofóbico do mundo.

Além de divertir com seus personagens e esquetes que faziam o público refletir, Paulo Gustavo pregava o amor e o respeito. Em “Minha Mãe é uma Peça”, o personagem Juliano e sua trajetória eram inspirados no próprio artista. Enquanto isso, dona Herminia, teve um papel importante no processo de aceitação dos filhos por parte de milhares de mãe no país.

Mariana Xavier, Paulo Gustavo e Rodrigo Pandolfo em cena de Minha Mãe é uma Peça 2. Foto: Pinterest

Em uma nação tão dividida, onde só se tem valor se você for heterossexual, branco e rico, Paulo Gustavo nos mostrou que a união é não só necessária como também possível. Nos ensinou que, independente de quem somos ou em que acreditamos, todos somos iguais. Chega a ser uma contradição enorme: um país extremamente preconceituoso lamentar a morte de uma pessoa que se recusou a ficar dentro da “caixa” erroneamente estipulada pela sociedade.

Com seu humor e seu timing, o ator mudou a indústria brasileira de cinema e televisão. Com seu carisma, postura e talento, abriu muitas portas para a comunidade LGBTQIA+, criando oportunidades e proporcionando visibilidade para pessoas que antes não teriam o mesmo destaque por não serem héteros. São raras as pessoas que causam tamanho impacto na sociedade, e com certeza vai demorar para surgir alguém que faça o mesmo que ele fez.

O ator Paulo Gustavo. Foto: Pinterest

“Enquanto essa vacina tão esperada não chega para todo mundo é bom lembrar que contra o preconceito, a intolerância, a mentira, a tristeza, já existe vacina. É o afeto. É o amor. Então, diga o quanto você ama quem você ama. Mas não fica só na declaração não, gente. Ame na prática, na ação. Amar é ação. Amar é arte. Muito amor, gente. Até logo!”. Disse Paulo Gustavo em seu