Mandy Candy: Games, empreendedorismo, lifestyle e muito mais!



Por: Evely Oliveira






Amanda Guimarães mais conhecida como Mandy Candy é uma mulher poderosíssima! E além de linda, inteligente e culta, ela é dona de um coração que encanta. E é com muita admiração que hoje vamos contar um pouco da sua história aqui para você se insipar.


Mandy Candy é uma mulher trans, e transborda autoridade para falar sobre o assunto, além disso ela é uma das pioneiras, se não a primeira, youtuber brasileira a gravar suas vivências trans, falando sobre os preconceitos e a questão da desigualdade social.

A musa esbanja simpatia, carisma e muita beleza. Ela que é uma streamer famosa e já morou em Hong Kong, hoje trabalha com lives de games e videos no Youtube em dois canais, sendo um deles mais voltado para a lifestyle, beleza e moda e outro de vlogs sobre seu dia a dia no sítio. Tem um salão de beleza incrível e também já lançou um livro que se chama Meu nome é Amanda, onde ela aborda diretamente esse tema de sua transição e conta melhor sobre sua história, cirurgia e apoio de sua família (super recomedo).




Dona de uma alma empreendedora como podemos notar, Mandy se dedica também diariamente a produzir conteúdos interativos e divertidos em seu intagram (eu particularmente amo, principalmente quando ela mostra suas lhamas). Sim, ela tem lhamas! Elas são lindas e dá vontade de abraçar, risos.


Sigam ela nas redes sociais @mandycandy @bemgarotaoficial @sitiodamandy



Tivemos a oportunidade de fazer algumas perguntas para que vocês possam conlhecê-la melhor e se encantar conosco.




1- Como começou sua carreira no mundo dos streamers? E quais dicas você daria para quem está começando nesse meio?


Trabalho na internet há mais de 7 anos já. Fui uma das primeiras, se não a primeira youtuber BR a colocar a cara no Youtube e criar conteúdos sobre vivências trans, falando de preconceitos e mostrando que uma mulher trans é igual a qualquer outra, saca? esse sempre foi o ponto principal dos meus conteúdos sobre o tema.


Mas quando comecei mesmo na internet, antes de ficar conhecida, eu tinha um canal de games (bem flopado e ruim kkkkk) e fazia lives na Twitch. Só que quando meu canal no YT comecou a crescer, eu deixei as lives de lado para focar em criar conteudo em vídeo.


Games sempre foram uma grande paixão e em 2019 surgiu a oportunidade de fazer lives no Facebook, foi quando realmente peguei gosto, e ligar a cam e conversar com o pessoal se tornou parte do meu dia a dia. Eu morria de medo pois em 2014/2015, quando fazia minhas primeiras lives, constantemente eu era atacada por ser uma mulher trans (esse também foi um dos motivos pelos quais eu parei com stream na época), mas vi que hoje em dia as pessoas já estão quebrando preconceitos e acolhendo mais a diversidade.


A dica que dou é fazer o que ama e dar o maximo de si, pode demorar mas uma hora dá certo! Não pensar em dinheiro fácil ou fama, pois isso é algo que possivelmente não vai acontecer tão rápido. Como tudo na vida, temos que ter os pés nos chão e fazer por que gostamos. Jogar os jogos que a gente curte e passar a mensagem que realmente acreditamos.

2- Ainda no mundo dos games, qual foi o momento em que você percebeu que poderia se tornar algo mais sério e profissional?


Quando recebi o convite para fazer lives no Facebook e vi que realmente dava para ganhar dinheiro fazendo algo que eu também amava. Ali vi que podia investir tambem nesse nicho e transformar meu hobby em algo a mais, sabe?


Hoje em dia trabalho com lives de games, videos no youtube em 2 canais, um voltado a lifestyle, beleza e moda e outro de vlogs do meu dia a dia no sítio, tenho um salão de beleza, lancei um livro, e tenho outros negócios em mente. Sempre tive alma empreendedora e adoro apostar em coisas novas.


Acredito que quem está começando com lives ou até já trabalha com isso, pode pensar além e tentar focar em outras coisas. Pois o público gosta de consumir coisas além de games, conhecer mais nossa história e gostos. Trabalhar com internet é isso, uma constante corrente de oportunidades.

3- Pensando em pessoas Trans, você acha importante um acompanhamento psicológico na infância?


Não só crianças trans, mas todas crianças devem ter acompanhamento. Acredito que é super importante para o desenvolvimento.


4- Como foi em relação ao apoio de sua família na sua transição?


Minha familia sempre me apoiou, acho que tem mais de 10 videos no canal falando sobre o assunto. Gosto de mostrar que o apoio da famila faz toda a diferença para uma pessoa trans, a gente já sofre tanto preconceito na rua, no trabalho, entre os amigos... imagina estar em casa e sofrer mais abuso psicológico pelo simples fato da gente ser quem a gente é?

Minha mãe, irmã e irmão são tudo para mim, e me ajudaram muito a construir quem eu sou hoje.

5- E por último, mas não menos importante, qual a sua voz? O que gostaria de gritar para o mundo, Mandy Candy?


Tenham mais empatia, se coloquem no lugar das outras pessoas, escutem o que os outros tem para falar.

Temos que sair das nossas bolhas e ver que o mundo é diverso, que nem tudo que a gente acha que é certo pode ser certo para outras pessoas.

A vida é curta demais para cuidar da vida alheia né? Hahaha






Bye, Bye!

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
KatGrahamSite.png