Open site navigation

Kelly Key and Family

Kelly Key and Family

Tainy apresenta beat exclusivo para joalheria Pandora

#TainyBeatsxPandora #BeatsOfPandora



A música urbana tornou-se um dos gêneros favoritos em todo o mundo, com inúmeros artistas que a lideram, mas acima de tudo com grandes produtores que se encarregaram de criar as melhores composições possíveis.

A joalheria Pandora tem uma conexão natural com a música, e é por isso que a marca apresenta o Beats of Pandora, grupo de embaixadores da marca que são ícones da indústria. Nesta ocasião, Tainy, um dos integrantes, chega com uma surpresa para os amantes do gênero urbano, uma batida que representa seu amor pela música e pela marca.



Como parte do lançamento exclusivo, o produtor porto-riquenho compartilhou um pouco do que essa batida representa para ele e para todo o gênero urbano.


1. Como começou sua carreira e por que escolheu a música urbana?

Minha carreira começou aos 15 anos em Carolina, Porto Rico, trabalhando com os maiores produtores de reggaeton da época, os Luny Tunes. Escolhi o gênero urbano porque era o que meus amigos ouviam na escola e na rua, era a música da nossa geração em Porto Rico, e também do Nely “El Arma Secreta” (produtor porto-riquenho), que eu conheço desde criança e começou antes de mim.

2. Qual você diria que é a chave do sucesso para conquistar um lugar na música urbana?

Para mim, a chave é sempre encontrar sua identidade, o que te diferencia dentro de um gênero que já tem muita concorrência, e se dedicar 100% a isso.

3. Por que você acha que a cultura/música latina se tornou uma referência em todas as áreas e países?

Acho que é uma mistura de muitas coisas. A música urbana está em um nível mais alto, e agora muitas pessoas têm mais oportunidades de conhecerem e serem impactadas com nossos ritmos, principalmente porque é incrível quantos novos artistas talentosos continuam nascendo.

4. Como você se expressa através do seu estilo, acessórios e música?

Para mim tudo anda de mãos dadas, o que você veste, como você se vê, como você se expressa. É tudo arte, assim como fazer música. Eu amo poder combinar meu estilo com a forma como minha música soa.

5. O que o levou a fazer parte do Beats of Pandora? O que é que os une?

Acho que amor ao estilo, como a pessoa se mostra diante do mundo e não ter medo de explorar são coisas que Pandora e eu temos em comum. Acho que a mensagem que ambos comunicamos a quem nos segue é ser sempre fiel à sua identidade.

6. O que te inspira na hora de criar uma batida? E qual foi sua inspiração para criar a batida com a Pandora?

Muitas coisas me inspiram, algo novo aparece todos os dias, sejam filmes, outros gêneros de música, cores, paisagens e moda, tudo me influencia. Para mim, a inspiração para a batida da Pandora foi poder expressar naquele momento quem eu sou e de onde venho, isso me ajudou a criá-la.

7. Música e moda movem massas. Que mensagem você gostaria de passar com essa batida?

Que as pessoas possam expressar o que amam, o que gostam e quem são sem medo, acho que isso nos dá uma liberdade incrível, que o mundo inteiro pode desfrutar.

8. As joias Pandora permitem que você valorize e guarde momentos. Qual momento você escolheria e com que charm você o celebraria?

O dia em que tive a oportunidade de fazer do que amo a minha profissão. Usaria o charm de nota musicai Pandora Moments para celebrá-lo.

9. Com qual peça/coleção da Pandora você mais se conectou e por quê?

Realmente, para mim, depende do que eu visto, para onde estou indo e do humor que estou. Eu tenho me conectado muito com a linha Pandora Me, aquela com os links. Gosto porque posso personalizá-la, adicionando os elos ou charms que eu quiser, se eu estiver no clima de algo maior ou menor.

10. Que conselho você daria para as novas gerações que o veem como um modelo?

Que eles lutem pelos seus sonhos sem desistir, acreditem em si mesmos e deem tudo de si ao que amam na vida. Tudo é possível.

ALL RIGHTS RESERVED

© 2022 by HOOKS MAGAZINE INTERNATIONAL LTDA.  Revista Hooks