Open site navigation

Kelly Key and Family

Kelly Key and Family

Julia Pereira: a top model que está concorrendo ao prêmio SHIFT em Miami

Natural de São Sebastião do Caí - RS, Júlia Pereira, 34,iniciou sua carreira bem novinha aos 8 anos de idade. Com apenas 15 anos já foi morar em São Paulo e logo após alguns meses embarcava em suas primeiras experiências internacionais.


Beleza @johnnylazz

Fotografia @rafaaaguedes

Styling @alb.lus

@marciastivalassessoria @megamodelbrasil



Como modelo atuou em Milão, Paris, Barcelona, Miami e Nova York.Versátil, a modelo também já trabalhou como apresentadora na RedeTV!, no quadro Fama Fashion do TV Fama e hoje administra o canal ‘Mundo de Júlia’, no YouTube, onde ela divide um pouco sobre moda, lifestyle e com a gravidez, passou a levar diversos especialistas para falar sobre o universo da maternidade, com muitas curiosidades e dicas para ajudar outras mamães.




Start Here Is Fashion TV (SHIFT) é o canal número 1 de moda praia e a competição SHIFT Modelo do Ano de 2022 de Miami, Júlia, é uma das duas únicas brasileiras na competição e com exclusividade a HOOKS ela nos cedeu uma entrevista sobre como está a ansiedade para a competição.


1 - O que significaria pra você ganhar o concurso e representar o Brasil como modelo Shift do ano?

Eu ficaria muito honrada, muito feliz. Eu sempre trabalhei bastante em Miami, principalmente nessa semana de moda praia, que é a Miami Swim Week. Eu sempre fiz muitos desfiles e ter esse reconhecimento seria superimportante pra mim, ficaria super honrada e, claro, representar o Brasil que é um país referência no mundo pelas modelos que fizeram história no mundo da moda. A competitividade em Miami, principalmente nas semanas de moda praia é muito grande. Sempre tem muitas modelos nas seleções pra participar do desfile.


2- Sendo uma das modelos de destaque da premiação, as expectativas são altas, como fazer para segurar esse nervosismo?


Eu confesso que sou uma pessoa que não gosto de concursos de competição, essa sempre foi uma parte do meu trabalho que eu que eu não gostava muito. Eu morei com muitas modelos e todas iam para os mesmos casting, então acabava rolando aquela disputa que não é legal, sabe? Isso eu não gostava. Eu fiz grandes amizades no mundo da moda, mas também tinha aquelas que me olhavam feio porque eu estava trabalhando mais e isso me incomodava um pouco. Eu acho que antes do trabalho temos que ser humano, temos que dar prioridade para outras coisas antes do trabalho. Se a gente trabalha duro, vamos ser recompensadas, mas não passando os outros pra trás, pisando nas pessoas, essa competitividade acaba gerando isso, algo que nunca gostei. Inicialmente eu pensei em não aceitar essa nomeação para o concurso, mas depois de muitas conversas eles me convenceram e eu levo isso como um reconhecimento do meu trabalho. Mas não estou nervosa, era só esse lado mesmo que eu me preocupava. Estou muito feliz com essa nomeação. Só de estar no concurso eu já estou super feliz. Quem sabe se eu ganhar, se Deus quiser, eu vou ficar muito honrada em representar o nosso país.

3 - Como funciona a maternidade nesse processo de ser empreendedora, modelo, designer e YouTuber? Como faz para dar conta de tudo?


Sinceramente não dá pra dar conta de tudo não (rsrs), a gente precisa de ajuda. É muito difícil conciliar tudo, eu tiro o chapéu para as mães que não tem rede de apoio, mães que são solo, porque é muito difícil, a gente tem prioridades na vida e cada uma tem um estilo de vida e a minha prioridade até o momento sempre será minha filha, eu deixo de fazer tudo pra ficar com ela. Eu tenho essa possibilidade, eu fiquei um tempo sem trabalhar, meu trabalho me possibilita isso também, eu não tenho uma rotina, então eu posso fazer os meus horários, eu vou encaixando, quando dá tempo eu faço minhas coisas. Agora estou num período que eu quero voltar a focar mais no meu trabalho. Mas pra isso eu preciso de uma rede de apoio. Não tem como, eu preciso deixar minha filha com alguém. Meus pais e minha família moram no Rio Grande do Sul, eu não posso contar com eles aqui, eu tenho ajuda da minha sogra Graças a Deus e o meu marido é super paizão também, mas ele trabalha muito, então realmente precisamos de ajuda. Aos poucos eu vou tentando conciliar, mas ainda não consigo me dedicar 100%. Claro quando eu estou no trabalho, eu me dedico cem por cento, faço o meu melhor. Mas tem esse impasse, desde que minha pequena nasceu, eu sempre fui muito pontual, muito focada na carreira, no trabalho e agora isso não é mais prioridade assim, é superimportante pra mim como mulher, como pessoa, mas a maternidade fala mais alto. E eu acabo deixando de lado pra ficar com ela. Acredito que esse seja o impasse de todas as mães e pais. Tudo faz parte da vida, dando o nosso melhor.


4 - O que mais te surpreendeu durante a sua gestação? E Porque é importante humanizarmos essa fase falando das dores desse momento, como você já faz em suas redes sociais!?


Eu acho superimportante falar sobre isso, eu falo muito principalmente no meu canal Mundo de Júlia. Desde o puerpério, falei muito sobre todas as fases da gestação, entrevistei profissionais que entendem do assunto, outras mães para compartilhar experiências, mas a minha gestação foi muito tranquila, apesar de ter testado positivo para a Covid-19 grávida, de ter enfrentado a gestação durante uma pandemia, foi bem tranquilo pra mim, eu acho que a gente tem que ver o lado bom das coisas e o lado bom foi que eu pude ficar mais tranquila, né? Curtir mesmo cada, cada etapa ali da gestação, mas eu sei que pode ser muito difícil pra muitas mães, então é superimportante a gente falar pra alertá-las. Porque a gente vê nas redes sociais aquela coisa maravilhosa, ah é só a barriga crescendo, tudo é muito amor, muito perfeito, aí nasce o bebê, aquelas fotos com o bebê no colo, é tudo perfeito, mas não é assim, gente. É muito difícil, são muitas mudanças, muitas transformações no corpo da mulher, psicologicamente, fisiologicamente, os hormônios caem bruscamente depois que o bebê nasce, então isso mexe com o psicológico da mulher, leva um tempo até ela retornar, ela conseguir resgatar a identidade, é uma coisa superimportante. Ela vai ter muito cansaço, vai ter provação de sono...Vai demorar um tempo assim. E parece que nunca mais vai voltar, mas volta. É importante falar sobre isso e alertar porque senão o choque é muito grande e olha que eu estudei muito, eu me preparei e mesmo assim o choque foi grande. Imagina se eu não tivesse estudado, nem sei o que teria acontecido. Tem a questão da amamentação, que é superdifícil no início pra muitas mulheres, não pra todas, mas pra muitas. Mas a gente dá conta, a mulher dá conta, por isso que eu falo que é importantíssimo ter a rede de apoio, muito, muito importante.

5 - Qual conselho você diria para centenas/milhares de meninas que estão em busca de um carreira sólida no fashion world?


Eu acho que o primeiro lugar é procurar uma agência séria, depois investir em redes sociais, porque hoje isso está muito ligado, os clientes querem modelos que também tenham engajamento, que tenham um público nas redes sociais. Ser uma pessoa humana, uma pessoa verdadeira, uma pessoa que mostre o que ela é, e não querer fantasiar uma coisa que não é, porque as pessoas enxergam isso e gostam dessa verdade e é isso que eles buscam nas modelos, uma modelo que não seja só aparência, que saiba falar bem, que seja uma comunicadora, isso aí vai agregar muito no trabalho também e depois encontrar o mercado seja ele no Brasil, nos Estados Unidos, na Europa, cada país procura um tipo de modelo físico também. Então, se você conseguir identificar qual é esse mercado, se encaixar, você vai trabalhar muito mais com certeza, não adianta você estar no que não é o seu perfil, que por mais incrível que você seja, você não vai trabalhar. Então, acho que é importante, mas pra começar a viajar, você precisa estar pronta, saber fotografar, já ter um know-how antes de chegar nesses lugares, porque nesses lugares que são os grandes polos aí da moda, se você não tá pronta, você tem uma chance, se o cliente não gostar de você, você não deu o seu melhor, não mostrou o que pode fazer, às vezes perde sua chance. E eles não vão mais querer te ver. É muito difícil de mudar uma imagem ruim. Então, tem que estar meio que preparada, mas a gente aprende muito no dia a dia e estudando sobre os profissionais da moda, tanto os fotógrafos como os designers, os estilistas...são pontos bem importantes.


6 - Quais são seus próximos passos ainda para esse ano? Pode dividir com exclusividade para Hooks um dos projetos que já estão encaminhado para 2022?


O primeiro projeto é a minha mudança de casa, porque estamos reformando o apartamento, vamos mudar pra nossa casinha, eu sei que isso não é um trabalho, mas isso dá trabalho (rsrs), então requer muito tempo e dedicação. Pretendo voltar para o Miami Swim Week em julho! Tenho planos de voltar pra televisão também, mas a maternidade ainda tá em primeiro lugar e aí eu vou aproveitando as oportunidades que me aparecem e ainda estou trabalhando como modelo, voltando a trabalhar graças a Deus e é isso, eu vou um dia de cada vez, aproveitando as oportunidades com planejamento. Eu estou muito feliz, é uma fase linda que eu estou vivendo.

Finaliza a modelo.

ALL RIGHTS RESERVED

© 2022 by HOOKS MAGAZINE INTERNATIONAL LTDA.  Revista Hooks